15 razões para evitar o estresse a todo custo

15 razões para evitar o estresse a todo custo

Não é novidade que o estresse está relacionado a inúmeros problemas de saúde, que vão da pressão alta à depressão e ao diabetes.

Mas às vezes, algumas consequências nocivas do estresse crônico passam despercebidos. Apesar do estresse fazer parte da vida, quando se torna crônico tem consequências devastadoras. A boa notícia é que, quanto mais você se informar a respeito do estresse, mais poderá realizar mudanças no seu estilo de vida para prevenir problemas de saúde associados.

Neste artigo, falaremos sobre 15 problemas de saúde que os pesquisadores afirmam estarem bastante ligados ao estresse.

Problemas de saúde causados pelo estresse

1. Dores de cabeça – altos níveis de estresse estão associados a um maior número de dores de cabeça por mês.
2. Perda de cabelos – num estudo comparando pares de gêmeos, as mulheres que relataram estar sofrendo de maiores níveis de estresse apresentaram mais perda de cabelos e de densidade capilar.647924-O-estresse-é-uma-fase-aguda-de-ansiedade-e-esgotamento..jpeg
3. Perda de memória – Em estudos com animais, o estresse crônico foi ligado a danos nos receptores de glutamato e perda de memória.
4. Acne e psoríase – Pesquisadores de Singapura descobriram um aumento importante na presença de acne entre estudantes na época de provas, especialmente nos homens, causado por mudanças hormonais causadas pelo estresse.
5. Insônia – Num estudo de 2010, descobriu-se que um ambiente de trabalho psicossocialmente debilitante dobra o risco das pessoas desenvolverem um transtorno do sono.
6. Ataques cardíacos – Um estudo com 200 mil empregados na Europa descobriu que aqueles que trabalham em empregos estressantes têm 23% mais chances de sofrer seu primeiro ataque cardíaco.
7. Piora a asma – Num estudo com cinco mil adultos, o estresse crônico foi responsável por dobrar o risco da asma.
8. Desejo por açúcar e gordura – Estudos com animais mostraram que um nível elevado de do hormônio do estresse CRH (Hormônio liberador de corticotrofina, na sigla em inglês), tende a levar a desejo maior por doces. O consumo exagerado de açúcar e carboidratos pode levar ao ganho de peso, picos glicêmicos e até ao diabetes tipo 2.
9. Digestão – O estresse pode perturbar o delicado equilíbrio dos micro-organismos em nosso intestino, levando a múltiplos problemas digestivos, como úlceras.
10. Gordura abdominal – Estudos repetidos ligaram níveis elevados de cortisol (considerado “o hormônio do estresse”) com o excesso de gordura na região abdominal, mesmo entre mulheres consideradas magras.
dor_nas_costas11. Dor nas costas – O estresse, juntamente com níveis elevados de cortisol, tem sido ligado à dor nas costas crônica. O gerenciamento do estresse é uma opção de tratamento para pessoas que sofrem com o problema.
12. Libido – Estudos mostram que níveis elevados de cortisol parecem interferir com a função sexual, e dificulta a excitação.
13. Pressão sanguínea – O estresse resulta em pressão sanguínea mais alta, o que pode levar a uma série de problemas de saúde, incluindo ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais.
14. Fadiga adrenal – O estresse crônico pode diminuir os níveis de hormônios sexuais, e chegar a prejudicar a capacidade do corpo de produzir os hormônios do estresse também. Afinal, quando secretados de maneira saudável, esses hormônios são fundamentais para a sobrevivência e para uma série de funções metabólicas. Isso pode levar a sintomas como fadiga, uma inabilidade de lidar com o estresse, e uma baixa na imunidade.
15. Açúcar no sangue – Durante situações estressantes, hormônios como a adrenalina e o cortisol fazem o nível do açúcar sanguíneo subir. Um estudo mostrou que homens sob estresse permanente tinham 45% mais chance de desenvolver o diabetes tipo 2.

Além de todos esses problemas, o estresse também pode levar ao envelhecimento precoce. O estresse crônico afeta o comprimento dos telômeros, um indicador-chave do envelhecimento prematuro.

Suportar situações estressantes durante meses ou anos também tem como desdobramento a queda nas defesas do corpo, que fica mais vulnerável a uma série de doenças. Também parece que a duração do estresse, e não sua severidade, seja o fator mais importante.

Se você se sente estressado o tempo inteiro, poderia tentar algumas mudanças simples, mas eficazes para diminuir o problema:

  • Realize exercícios físicos ao menos três vezes por semana.treinar_de_manha_vitaminaD
  • Consuma alimentos mais saudáveis, de fácil digestão, e que deem energia e força para o corpo combater o estresse. Diminua o consumo de doces, frituras e gorduras.
  • Reserve tempo para o lazer.
  • Procure ajuda terapêutica se necessário, caso a fonte de estresse sejam relacionamentos familiares ou sua saúde emocional e mental.
  • Florais, ioga, acupuntura, são métodos alternativos mas comprovadamente eficazes no combate ao estresse.

Fonte: Adrenal Fatigue Solution

Categorias: Saúde