Alimentação para diminuir a glicose no sangue

Alimentação para diminuir a glicose no sangue

Não são só as pessoas que têm diabetes que precisam diminuir o nível de glicose do sangue. Todos nós precisamos manter uma dieta balanceada para não alterar o nível glicêmico, saturando órgãos como o pâncreas, o fígado e os rins.

O consumo constante de doces e alimentos calóricos em excesso pode fazer com que o corpo desenvolva uma resistência à insulina, mesmo que o pâncreas da pessoa continue produzindo-a em níveis normais.

cesta_vegetaisSem a ação da insulina, as células não conseguem absorver a glicose do sangue, que causa inúmeros danos no corpo. Os rins não conseguem reabsorver toda a glicose do sangue filtrado e esta “vaza” para a urina. É por isso que a glicose pode ser detectada nos exames de urina quando nossas taxas estão alteradas.

Neste artigo, daremos algumas dicas simples que você pode adotar na sua alimentação diária, evitando picos glicêmicos e a diabetes tipo 2, a mais frequente em todo o mundo, e que pode ser prevenida.

Trocas recomendadas para diminuir a glicose no sangue:

  • Refrigerantes e sucos de caixa — troque por água com limão ou leite vegetal feito em casa
  • Hambúrgueres e frituras — troque por salada com alguma carne magra grelhada
  • Pães e sanduíches — troque por saladas, wraps de ovos e alface
  • Lanches e salgadinhos — troque por vegetais, como o aipo e cenouras cortadas em tiras, acompanhadas de um molho saudável, como homus
  • Sorvete — troque por sorvetes à base de iogurte desnatado
  • Carnes processadas, como salaminho, presunto e embutidos — troque por carnes magras não-processadas, como peixes e frango
  • Macarrão — troque por macarrão integral ou até por macarrão de abobrinhafarinha_de_trigo_integral
  • Doces — troque por chocolate meio-amargo (em pequenas quantidades)
  • Drinques — troque por meia taça de vinho
  • Ao invés de farinha de trigo branca, opte pela integral, pela aveia ou pelo farelo de trigo ou de aveia, ou use uma porção de farinha de trigo branca para duas porções das integrais.
  • Ao invés de usar margarinas, use azeite de oliva ou óleo de coco.
  • Ao invés de cobrir bolos com coberturas à base de leite condensado ou manteiga, use coberturas à base de cream cheese desnatado e adoçante.
  • Ao invés de usar açúcar, use stevia ou outro adoçante natural, como o mel, que apesar de ser rico em glicose e calorias, é mais nutritivo e pode adoçar o mesmo que o açúcar, só que em menores quantidades.
  • Ao invés de usar arroz branco, troque por arroz integral ou selvagem.
  • Ao invés de consumir doces e balas como snack, prefira uvas-passas, castanhas e amêndoas, além de frutas secas.

Fome por doces pode indicar questões emocionais

Os alimentos doces ou ricos em carboidratos, que também se transformam em glicose no corpo, nos energizam com uma dose rápida de glicose, a maior fonte de energia para o corpo.

Ao comer um pedaço de pizza, uma fritura ou chocolate, nos sentimos instantaneamente mais despertos, “cheios de vida” e confortados.

fome-emocional_chocolateO que não percebemos é que este tipo de alimento pode ser altamente viciante, e não nos fornece as vitaminas e minerais que o corpo precisa, apenas energia, geralmente acompanhada de conservantes e outras substâncias tóxicas.

O desejo “incontrolável” por comidas doces e calóricas pode ser classificada como “fome emocional” e pode levar ao ganho de peso e obesidade, entre outros problemas associados.

Para combater o problema, sugerimos ter um caderninho em que você anote tudo o que come ao longo do dia, assim como o horário em que comeu e como se sente antes e depois de ingerir o alimento.

Este método de anotar tudo o que comemos e como nos sentimos a respeito é usado por muitos programas bem-sucedidos para perder emagrecer, como os Vigilantes do Peso.

Outra maneira de combater a fome emocional é procurar realizar outras atividades que lhe deem prazer, mas que não estejam associadas ao ato de comer. A prática de exercícios físicos é uma excelente alternativa, que nos fornece energia, queima gordura, aumenta a autoestima, o foco e a autoconfiança, previne doenças e ainda ajuda o corpo a produzir os chamados hormônios do bem-estar, como a serotonina.

Experimente!

Categorias: Alimentação