Como evitar o estresse na sua vida financeira

Como evitar o estresse na sua vida financeira

A vida financeira pode ser uma das áreas que mais provoca estresse, nos deixando preocupados, desanimados, e, às vezes, até desesperados. Pode levar a brigas até entre o mais unido dos casais, além de causar instabilidade em vários outros setores de nossa existência. A seguir, falaremos sobre como evitar o estresse nesta área.

Alguns sinais de que você se sente estressado e que a causa é sua vida financeira:

— Você não consegue nem checar o próprio extrato bancário ou abrir algumas contas do mês, como a de cartão de crédito, pois tem medo.
— Você gasta quase toda a sua renda mensal até o dia 15 e passa o restante do mês fazendo malabarismos – ou usando o cartão.
— Você teme pelo seu futuro e de sua família.
— Sua poupança vive próxima do zero.
— Você se angustia por ter que cortar gastos em serviços essenciais, como plano de saúde e educação.
— Você não tem um plano claro de aposentadoria ou de investimento.

crise_financeira_casalSe você se identificou com algumas das afirmações acima, é provável que esteja vivendo uma crise financeira e que isso esteja influenciando sua saúde emocional, mental e física.

Esses períodos de incerteza, que podem ser crônicos e durar até a vida inteira, fazem o sistema endócrino liberar os chamados “hormônios do estresse”, como o cortisol, que têm efeitos devastadores sobre a saúde se liberado por longos períodos de tempo. Alguns sintomas desses efeitos são pressão alta, irritabilidade, insônia, dificuldades de concentração, tontura, dores de cabeça, ataques de pânico, ansiedade, depressão, fobia social e até ataques cardíacos.

Como evitar que a sua vida financeira vire uma fonte de estresse?

Apesar de parecerem um beco sem saída, crises financeiras são um problema como qualquer outro, podendo ser solucionado. Confira alguns passos:

1. Faça um inventário de todas as suas dívidas. Pegue um caderno ou agenda específico para isso, ou faça uma planilha no Excel, se preferir. Anote todos os gastos fixos, mensais e anuais, como aluguel, prestação do carro, supermercado e lazer. Seja detalhista e não esqueça nenhuma despesa.

2. Adquira o hábito de anotar seus gastos. Parece uma tarefa chata, e é, mas você se surpreenderá como é útil manter um “caderninho de gastos”, com tudo o que você compra ou paga diariamente. Existem muitos apps gratuitos que podem ser baixados no seu celular ou tablet, e que cumprem bem esta finalidade.

vida_financeira3. Anote todas as suas fontes de renda, e compare com seus gastos fixos e aleatórios. Examine onde você está gastando mais dinheiro e se há formas de aumentar a sua renda.

4. Peça ajuda. Se possível, peça ajuda a um parente, familiar ou amigo mais próximo para quitar suas dívidas. Se estiver com dívidas no cartão de crédito, procure negociá-la, escolhendo o número de parcelas que mais se adequar à sua situação. Mas lembre-se de que os juros do cartão são altíssimos, por isso, quanto menos parcelas, melhor.

5. Use apenas um cartão de crédito – ou nenhum. Para realizar uma “reeducação financeira”, adquira o hábito de pagar pelas coisas à vista, eliminando as prestações. Elas se acumulam e podem virar uma bola de neve.

6. Examine se existem áreas em sua vida em que há desperdício. Talvez, você gaste muito com jantares em restaurantes, com pizzas delivery e outros pequenos gastos. Veja se pode fazer as compras do mês num supermercado com preços mais populares. Ande de ônibus ou metrô, ao invés de usar o carro, e economize na gasolina.

Por fim, uma das dicas mais importantes:

poupanca7. Faça poupança. Poupar é a melhor maneira de estar preparado para as crises (que sempre virão, de tempos em tempos, para todos nós) e para manter o estresse sob controle. Você terá a tranquilidade de saber que tem uma reserva financeira sempre que precisar. O ideal é poupar 30% de sua renda todo o mês – poupe ainda mais se você puder.

Outra dica útil para ter um vida financeira tranquila é ter um plano de aposentadoria claro e colocá-lo em prática. Se você gosta de investir, pode também ter um plano de investimento, para quando tiver mais renda direcioná-la para a criação de um patrimônio.

É possível construir excelentes patrimônios, mesmo ganhando pouco. Basta ter determinação, visão, foco e planejamento. Experimente prestar mais atenção na sua vida financeira e tê-la sob controle, pois isso afetará positivamente sua saúde e bem-estar.

Categorias: Saúde