Dieta mediterrânea para cuidar do coração

Dieta mediterrânea para cuidar do coração

Durante anos, a dieta Mediterrânea tem sido recomendada por vários especialistas em nutrição como uma maneira de diminuir o risco de doenças cardiovasculares, certos cânceres e obesidade, entre outras, mas o conselho se baseava mais na mera observação das populações que vivem na região do Mediterrâneo, do que em provas científicas.

Os habitantes de países que margeiam esse Mar, como Grécia, Itália, Espanha e Turquia, tendem a ter menos risco de apresentar essas doenças que atingem o coração. Eles consomem uma grande variedade de frutas frescas e integrais, vegetais, grãos, peixe, feijões, azeite de oliva, nozes e sementes.

dieta_mediterranea_principalMas as evidências que favorecem um plano de alimentação no estilo mediterrâneo estão cada vez mais fortes. Um grande estudo clínico publicado pelo Jornal de Medicina The New England descobriu que cerca de 30% dos ataques cardíacos, derrames e mortes por cardiopatias podem ser prevenidas com um plano alimentar baseado nessa dieta deliciosa.

Os indivíduos estudados foram selecionados por terem problemas de saúde que os incluem na população de risco para doenças cardiovasculares, como diabetes tipo 2, hipertensão, colesterol LDL elevado, baixo colesterol HDL, sobrepeso ou obesidade, e ainda histórico familiar de doença cardíaca prematura. Os cientistas dividiram aleatoriamente os 7.447 indivíduos participantes, entre homens e mulheres (com idades entre 55 e 80), em um destes três grupos:

– Dieta mediterrânea, mais quatro colheres de sopa de azeite de oliva diariamente
– Dieta mediterrânea, mais 30 gramas de nozes variadas (como amêndoas, avelãs e castanhas).
– Dieta com baixo teor de gordura

A dieta Mediterrânea claramente proporcionou uma maior proteção para esses indivíduos que tinham maior risco de sofrer um ataque do coração.

Os resultados desse estudo agora posicionam a dieta Mediterrânea como um plano alimentar poderoso quando se trata da prevenção dos problemas cardiovasculares.

E o melhor e tudo é que essa dieta é deliciosa e variada. Aqui estão algumas dicas para começar a comer como esses povos:

  • Junte à sua salada preferida um punhado de nozes picadas ou amêndoas em lascas.
  • Ao invés de preparar um sanduíche ou wrap usando carne vermelha, prefira frango ou peixe grelado, alface, tomates, cebolas e um molho à base de frutas, como a manga.MEDITERRANEAN DIET
  • Misture lentilhas com seu prato de arroz favorite e cobra com um molho de tomate e vegetais.
  • Grelhe o frango com vagem, pimentão verde em tiras, cebolas, brócolis e couve-flor em azeite de oliva. Sirva sobre arroz integral com nozes e um pouco de molho de soja.
  • Prepare um molho italiano caseiro usando azeite de olive e seu vinagre saborizado favorito.

Se quiser incorporar completamente este tipo de plano alimentar ao seu dia a dia, também pode seguir as seguintes instruções
simples:

Coma diariamente:
– 3 porções de frutas
– 3 porções de vegetais
– 1 taça de vinho, com uma refeição

Coma semanalmente:
– 3 porções de peixe (grelhado, não frito)azeite_de_oliva
– 3 porções de legumes
– feijões e lentilhas

Escolha como acompanhamentos:
– Azeite de oliva, castanhas, na maioria do dias
– prefira a carne magra e branca, frango e peixe

Limite o seu consumo de:
– Biscoitos, tortas e doces
– carne vermelha e processada (embutidos) e laticínios gordurosos

Considerações finais sobre a dieta Mediterrânea

Doenças cardiovasculares são graves e requerem acompanhamento médico constante. Se você sofre de pressão alta, alterações nos batimentos cardíacos e outros problemas circulatórios, sempre consulte seu médico antes de fazer qualquer alteração na dieta.

Lembramos também que a saúde é um conjunto de vários hábitos de vida saudáveis. Além de uma dieta saborosa e equilibrada, é preciso exercitar-se regularmente e equilibrar os níveis de estresse. Também é necessário eliminar o excesso de gordura corporal e abandonar hábitos prejudiciais, como o fumo.

Com algumas alterações simples, você pode diminuir muito o risco de sofrer de alguma doença cardiovascular, a maior causa de morte no mundo.

Com informações de SparkPeople

Categorias: Dietas