Saiba mais sobre a endoscopia: para que serve e como é feito o exame

Saiba mais sobre a endoscopia: para que serve e como é feito o exame

Quando temos alguns sintomas de problemas digestivos, como inchaço, queimação, azia ou má digestão, nosso médico pode nos encaminhar para um exame chamado endoscopia digestiva alta.

Nesse exame, é inserido um tubo através da boca do paciente sedado, que vai avaliar as condições do esôfago, estômago e duodeno.

endoscopiaO aparelho utilizado é o endoscópio, um longo tubo feito de plástico resistente e flexível, que possui um chip com câmera na ponta. As imagens captadas através do endoscópio oferecem ao médico que realiza o exame imagens reais da parte mais alta do tubo digestivo do paciente.

Como as imagens aparecem num monitor, elas podem ser gravadas e impressas, para serem encaminhadas a outros profissionais de saúde que acompanham a pessoa que está sendo examinada.

Isso é essencial no caso de ser detectado algum problema durante o exame. A endoscopia pode revelar problemas como:

  • Gastrite
  • Tumores no aparelho digestivo
  • Úlceras
  • Sangramentos
  • Contaminação pela bactéria H. pylori, que pode causar gastrite e úlceras
  • Doença celíaca
  • Problemas no esôfago, como inflamações (esofagite)
  • Refluxo
  • Estreitamento do esôfago

Para a realização do exame, geralmente é ministrado um anestésico e sedativo na veia do paciente, além de um analgésico para a garganta.

Assim, graças à ação desses anestésicos, o paciente não lembra de nada durante o exame. Para que ele não feche a boca durante a passagem do endoscópio, é usado um pequeno suporte que a mantém aberta durante todo o procedimento.

Como se preparar para a endoscopia?

É necessário jejum absoluto de 8 horas antes do procedimento. O paciente pode beber uma pequena quantidade de água até quatro horas antes do exame.

Também é necessário que ele esteja acompanhado por alguém, por causa dos efeitos pós-exame e pós-anestesia.

Após o exame, a pessoa fica em observação por até uma hora, para que cessem os efeitos da anestesia e para que sejam descartadas quaisquer complicações.ulcera_estomago

Medicamentos antiácidos e anticoagulantes também não devem ser tomados antes da realização de uma endoscopia. Se você utiliza esses medicamentos, não deixe de informar ao médico.

Mulheres grávidas devem evitar realizar o exame, não por causa da inserção do endoscópio, que não causa males nem para a mãe nem para o bebê, mas por causa da anestesia.

Durante o exame, o médico pode retirar pedaços de tecidos do esôfago, estômago ou duodeno (parte inicial do intestino), para a realização de análises (biópsias).

Outros usos da endoscopia

A endoscopia também é usada como um meio de realizar procedimentos, como a inserção de um balão para inflar o estômago, evitando o excesso de alimentação de pacientes com obesidade mórbida, para a retirada de pólipos ou até para remover pequenos objetos engolidos por crianças. Também pode ser indicada para cauterizar úlceras que estejam sangrando, interrompendo a perda de sangue.

O procedimento é pouco invasivo, geralmente não requer que sejam realizados cortes e o paciente apresenta rápida recuperação. Além disso, os seus riscos são bem menores que o de cirurgias. Portanto, a endoscopia é bastante utilizada não apenas como meio de diagnóstico, como também para sanar vários problemas do trato digestivo superior.

Possíveis efeitos adversos pós-endoscopia:

Se você apresentar os seguintes sintomas após a realização de uma endoscopia, procure seu médico imediatamente ou dirija-se a um pronto-socorro:

  • vômitos intensosendoscopia_exame
  • fezes sanguinolentas
  • febre
  • dificuldade para engolir
  • dores na garganta ou abdômen

Em geral, os pacientes submetidos a uma endoscopia não apresentam nenhum sintoma adverso e recuperam-se bem poucas horas após passar pelo exame, que tem duração de, aproximadamente, 20 minutos.

Converse com seu médico para saber se a endoscopia digestiva alta é o exame mais indicado para o seu caso e não deixe de informa-lo se você tem alguns problemas de saúde crônicos, como problemas cardíacos ou respiratórios, diabetes, pressão alta ou se está grávida ou tentando engravidar – como explicado acima, a endoscopia é contra-indicada durante a gestação, sobretudo nos três primeiros meses da gravidez.

Categorias: Saúde